6.6.08

MARÉS NEGRAS

Como se não chegassem as catástrofes naturais, sob a forma de terramotos, tsunamis, incêndios florestais, inundações, secas, etc, o Homem, com a sua imprudência, provoca outras bem mais graves. Neste blog, já nos referimos á poluição dos mares pelos plásticos, em postagem de 25-3-2008; hoje abordaremos o caso da poluição dos mares com hidrocarbonetos (petróleo e afins) dando origem ás tristemente célebres marés negras que afetaram gravemente fauna e flora marinhas e produziram doenças respiratórias nos trabalhadores e voluntários encarregados de as combater. Infelizmente, não são só os acidentes com os navios petroleiros a causar marés negras pois refinarias e plataformas de exploração petrolífera têm a sua quota-parte nestas marés negras.


Em 24 de Março de 1989, o petroleiro Exxon Valdez, propriedade da empresa americana Mobil, embateu em rochas da baia de Prince, no Alasca, por razões pouco esclarecidas. Devido ao acidente, o barco derramou 40.000 toneladas de crude nesses mares gélidos,com consequências gravosas para os bancos pesqueiros e outra fauna marinha. Êrro humano, negligência grosseira, tripulação não qualificada, levaram a que a Mobil tivesse que pagar multas milionárias. O caso teve uma repercussão insólita em todo o mundo, criando uma grande sensibilidade na opinião pública. Os Estados Unidos aprovaram uma lei que regularia, daí em diante, o transporte marítimo de crude, com consequências negativas para o resto dos países. Esta lei dava um prazo muito curto aos armadores para modificar os navios cisternas, já que só permitia a entrada em portos americanos a navios de duplo casco., além de obrigar a seguros muito mais caros. A Lei, OPA 90,prejudicou imenso as companhias transportadoras do resto do mundo que só podiam operar com os barcos monocasco em rotas diferentes das habituais, mais distantes e ,a maior parte das vezes ,com bandeira de conveniência . Mesmo depois de aprovada a OPA 90, vários foram os acidentes e marés negras que ocorreram por todo o lado. Perto de nós, mais propriamente na Galiza, em 1992, o petroleiro de bandeira Grega ANGEAU SEA, em pleno temporal, iniciou uma arriscada manobra para entrar nos pantanais da Repsol. O barco partiu-se em dois,derramando 70.000 ton. de crude.O último acidente que, por sorte, não atingiu a costa portuguesa, deu-se a 18 de Novembro de 2002, com o petroleiro PRESTIGE. Um temporal abriu um rombo de 40 metros no casco ,por onde ia perdendo o fuel que transportava. O comandante pediu autorização para aportar a La Corunha, pedido que foi negado pelas autoridades espanholas que rebocaram o barco para mar aberto. Depois de várias horas de reboque, o Prestige partiu-se em dois e afundou a 133 milhas do cabo Finisterra. Foram para o mar 77.000 toneladas de fuel. O vento e as correntes marinhas levaram o produto para a zona de Espanha que teve 900 Kms de linha costeira afetada pelo viscoso fuel, mais contaminante que o crude. Bancos de pesca e viveiros de marisco foram totalmente destruídos ; as zonas turísticas impraticáveis e milhares de pesoas intoxicadas. Por sorte, o vento que soprava para norte, impediu que a maré negra chegasse á zona costeira de Portugal.

3 comentários:

Anónimo disse...

I found this site using [url=http://google.com]google.com[/url] And i want to thank you for your work. You have done really very good site. Great work, great site! Thank you!

Sorry for offtopic

Anónimo disse...

Who knows where to download XRumer 5.0 Palladium?
Help, please. All recommend this program to effectively advertise on the Internet, this is the best program!

Anónimo disse...

[url=http://moodlee.alphaplus.ca/sso/hive/]viagra free shipping[/url]

Arquivo do blogue