17.4.08

A ORIGEM DO HOMEM

As nossas origens estão directamente ligadas com o desaparecimento dos dinossauros,qualquer que tenha sido a causa desse desaparecimento. Os mamíferos, nossos antecessores, já existiam há milhares de anos ,antes do fim dos grandes répteis. Os acontecimentos de há 40 Ma que ditaram o fim dos dinossauros (ver postagem de Janeiro 08) pouparam tudo o que vivia sob a água e os animais de pequeno porte escondidos nas tocas ou sob uma muito densa vegetação, assim se salvando os muito pequenos mamíferos de apenas alguns centímetros de tamanho.
Nem sempre é possível ler nos fósseis cada um dos passos da linha evolutiva que conduz ao Homem ,mas podemos analisar as características dos mamíferos insectívoros, do tipo musaranho, que vieram ocupar os nichos ecológicos deixados vagos pelo desaparecimento dos grandes répteis. Os pequenos mamíferos que vegetavam no solo, alimentando-se de sementes e de insectos, subiram ás árvores, o que requeria importantes adaptações que ainda hoje são as características dos primatas, nós incluídos. A principal adaptação era uma mão com unhas, em vez de garras, e capaz de se agarrar aos ramos e de apanhar comida. Em segundo lugar, uma boa visão tri-dimensional e estereoscópica, o que só é possível com os olhos colocados na parte da frente da cabeça . Por último, a capacidade do animal se pôr de pé , por forma a libertar os membros anteriores para apanhar os alimentos. Só os primatas possuem, simultaneamente,estas três características.Foram precisos 30 Ma para que os descendentes dos musaranhos originais surgissem equipados com todas as capacidades dos modernos primatas, incluindo a visão a côres. Destes primatas primitivos, por vezes chamados pró-símios, ainda sobrevivem , em Madagáscar, os Lémures que nunca tiveram que competir com os antropoides, primatas mais evoluídos. Sigamos o esquema evolutivo abaixo.Os macacos primitivos, surgidos há 40 milhões de anos, evoluíram em dois ramos : os macacos do velho mundo (europa,ásia e áfrica) e os macacos do novo mundo (continente americano) Uma diferença ressalta nestes dois tipos de pró-símios e que é o facto dos macacos do novo mundo usarem a cauda como um quinto membro para se balançarem nas árvores, além de diferenças menores nas narinas e dentição. Só a linha dos macacos do velho mundo evoluiu e, há 25 milhões de anos, dá-se o aparecimento dos símios que são macacos sem cauda. Esta linhagem de símios, há 10 Ma, divide-se em duas: as dos símios actuais ( chimpanzé, gorila,orangotango) e a dos hominídeos que virá a dar o homem actual. Infelizmente há uma grande lacuna fóssil que não nos permite traçar, com exactidão, a linha evolutiva dos hominídeos até ao homem. (Esta lacuna é aproveitada pelos fixistas e criacionistas para combater o evolucionismo. ) Pensa-se que os hominídeos terão saído das florestas e passado a ter uma postura mais erecta, na savana entretanto surgida com a mudança de clima. Consideremos então que há 10 Ma surgiu um primata hominídeo mais evoluído, provávelmente o antepassado mais directo do homem, a que foi dado o nome de Ramapithecus.Os vestígios deste hominídeo foram encontrados nos montes Siwalick na Índia e, mais tarde, em África. Aparentemente andava erecto e não tinha maxilas alongadas ou salientes. Com um cérebro ainda pequeno, podia agarrar e manejar paus e pedras para afastar os seus inimigos. Há 6 milhões de anos, dos Ramapithecus derivaram três ramos :Australopithecus boisei, Australopithecus africanus e o Homo habilis. Os Australopithecus tinham um volume de cérebro idêntico ao de um macaco moderno, andavam erectos e serviam-se de utensílios, possivelmente ossos e seixos naturalmente aguçados. O Homo habilis tinha um cérebro mais volumoso, andava erecto e fabricava utensílios de pedra.

Australopithecus e Homo habilis chegaram a co-habitar em algumas regiões, possivelmente num relacionamento não pacífico, em nichos ecológicos diferentes e com esporádicos cruzamentos. Os Australopithecus acabam por se extinguir há 2 Ma e o género Homo vai evoluindo. Assim, há 500.000 anos, surgia o Homo erectus que viveu na Ásia, África e Europa. Utilizava o fogo e caçava animais de grande envergadura, actuando em grupo. ( A figura acima é uma reconstituição do Homo erectus )
Há 100.000 anos a espécie Homo erectus terá evoluído para duas linhagens: Homo neanderthal e Homo sapiens. O homem de Neanderthal contemporâneo do último período glaciar, deve ter-se extinguido há 40.000 anos, enquanto o Homo sapiens foi evoluindo até dar o homem moderno (Homo sapiens,sapiens), o que deve ter acontecido há 35.000 anos .
Mas não se pense que os Neanderthais eram seres embrutecidos e insensíveis,pois enterravam os seus mortos segundo um ritual que leva a admitir uma crença religiosa. Por vezes enterravam, juntamente com os mortos, alimentos e utensílios, o que indica acreditarem numa vida do além. As sepulturas eram cobertas com pedras, para evitar profanação por parte de animais. O homem de Neanderthal caçava renas, bovinos, bisontes e veados. Usavam raspadores de silex próprios para tirar a gordura das peles, com que se vestiam rudimentarmente. Fabricavam pequenas pontas de lança e bifaces em silex,chegando ao ponto de criar uma faca com serrilha,destinada a cortar os alimentos. É possível que tivessem praticado canibalismo para herdar a força e a magia dos seus inimigos. No que se refere ao Homo sapiens ,sapiens, revelou-se hábil a trabalhar a pedra e criou uma nova série de utensílios mais complexamente trabalhados com a ajuda de um punção de madeira ou de osso que funcionava como martelo. Possuiam furadores,ou sovelas, com que furavam as peles , e buris com que trabalhavam o osso, uma forma de arte. O osso e o marfim eram utilizados para pontas de lança, anzois, agulhas e arpões. O vestuário, em pele de animais, era muito trabalhado e adornado, por vezes,com conchas ou dentes. Usavam colares de dentes de cervos,cascas de caracois,discos de madrepérola e pérolas de marfim. Há 12.000 anos o homem deixou de ser caçador,dando lugar a comunidades mais numerosas de pastores e agricultores, com chefes e artífices especializados. Trigo e cevada,segados com foices de silex ,eram as culturas principais. A partir do ano 6.000, antes de Cristo, surge a utilização do cobre,bronze e ferro permitindo o fabrico de ferramentas novas e mais resistentes. De uma forma lenta e progressiva ,o animal Homem chegou ao que é hoje. Terminarenos com uma reconstituição dos nossos antepassados Homo erectus.


2 comentários:

Ana Ramon disse...

Passei por este cantinho para agradecer as suas simpáticas palavras e também para ler os seus artigos que considero extremamente interessantes. Fiquei com curiosidade sobre os temas abordados até porque tenho um texto alinhavado (e ainda mal alinhavado) sobre os vestígios dos dinossauros no Cabo Espichel, cujas pegadas foram confundidas durante anos com as da burra da Nossa Senhora que certamente teria muito jeito para subir superfícies quase a pique. Há muitos anos, um amigo deu-me umas fotos tiradas ao longe desses trilhos e achei curioso divulgá-las com um texto a condizer. Mas vai ter que esperar mais um tempo.
Obrigada pela informação e felicidades para o seu blog
Um beijinho

nocas disse...

Agora percebo por que há tanto macacão por aí.....

Arquivo do blogue