4.4.08

A ORIGEM DA VIDA

Desde os tempos mais remotos que o Homem tenta explicar a origem da vida tal como a conhecemos hoje. As primeiras explicações foram de natureza religiosa, atribuindo a vida a um Cridor supremo.(Teoria Criacionista).Quatro séculos antes de Cristo, no tempo de Aristóteles, apareceu a primeira explicação não religiosa: a vida surgia da matéria inorgânica que, devido a um princípio activo,originava os seres vivos. Os defensores desta teoria designada de Abiogénese ou Geração Espontânea afirmavam que os mosquitos provinham da lama, os sapos da terra húmida, os peixes do lodo, os ratos da palha podre e outras coisas que tais, tudo por acção do tal princípio activo que ninguém sabia o que era. Esta teoria foi posta em causa no séc XVII pelas experiências de Francisco Redi e no séc XVIII pelas de Lázaro Spallanzani. Estes cientistas mostravam que a vida só podia surgir de outra pré-existente. Infelizmente as suas experiências não eram totalmente conclusivas,dadas as condições de trabalho na época, e só em 1862 Louis Pasteur realizou outras, totalmente credíveis ,que acabaram com a teoria da Abiogénese. Segundo Pasteur, " nas condições actuais ,a vida provém sempre de outra já existente ". A questão não ficou por aqui encerrada, pois havia o problema de explicar o aparecimento da primeira forma de vida. Em 1908,Arrhenius apresenta a hipótese da Panspermia , afirmando que a vida na Terra se devia a esporos vindos do espaço sideral e transportados por meteoritos que cairam no nosso planeta. O problema mantinha-se : e lá no espaço como tinham surgido esses esporos ? A ideia foi retomada por Francis Crick, em 1980, só que, em vez de meteoritos, foram naves espaciais não tripuladas que transportaram colónias de microrganismos. Os lançadores dessas naves pertenceriam a uma civilização muito avançada tecnologicamente, há já biliões de anos . Por nos parecer haver uma hipótese de explicação lógica e comprovada laboratorialmente sobre a origem da vida na Terra, tentaremos explicar a Teoria de Aleksandr Oparin . Em 1924 este cientista russo partiu do pressuposto de que as condições do planeta Terra, no seu início, eram diferentes das actuais . Vamos tentar sintetizar as suas ideias : »»» Há 4.000 Ma (milhões de anos) a jovem Terra não tinha ainda arrefecido a sua crosta ,e a atmosfera por não possuir oxigénio, era redutora.»»» Havia milhares de vulcões em actvidade que lançavam na atmosfera hidrogénio (H2),metano (CH4),amoníaco (NH3), vapor de água ( H2O)e sulfureto de hidrogénio (H2S) .»»» Como a atmosfera não continha oxigénio os raios ultravioleta eram muito fortes.»»» As trovoadas eram constantes e as águas resultantes foram-se acumulando dando os mares primitivos, ainda sem qualquer vida.»»» Os gases da atmosfera primitiva, sujeitos às descargas eléctricas das trovoadas e aos fortes raios ultravioleta, ionizaram as suas moléculas que se combinaram entre si dando moléculas inorgânicas mais complexas. Estas recombinaram-se também dando, por sua vez, moléculas orgânicas simples.»»» As moléculas orgânicas simples foram arrastadas pelas chuvas para os mares primitivos onde se acumularam originando aquilo a que Oparin chamou de caldo primitivo .
Até este ponto a Hipótese de Oparin foi comprovada pela experiência que Stanley Miller e seus colaboradores realizaram em 1953 e que passamos a descrever:



No balão (lado direito)foram colocados os gases :hidrogénio, metano, amoníaco, dióxido de carbono e azoto, simulando a atmosfera primitiva. Havia também vapor de água vindo do balão do lado esquerdo. Este simulava os mares primitivos muito quentes que tinham forte evaporação. Os gases do balão foram submetidos a descargas eléctricas de 60.000 volts, durante uma semana, simulando as trovoadas e os ultravioleta. O vapor de água e gases eram condensados no lado direito do aparelho, simulando as chuvas primitivas. Ao fim de uma semana de trabalho contínuo deste aparelho a água estava amarelada e ,depois de analisada ,verificou-se conter aminoácidos (alamina, glutamato, ácido aspártico) e ácidos orgânicos (fórmico, acético, propriónico, láctico e succínico) tudo isto moléculas orgânicas. Para termos uma ideia de como as moléculas inorgãnicas originaram , por recombinação, as moléculas orgânicas simples observemos o esquema a seguir:


«As moléculas orgânicas têm , em conjunto,átomos de carbono(bola preta)hidogénio( bola azul)e oxigénio(bola vermelha)» VOLTEMOS À HIPÓTESE DE OPARIN : »»» No caldo primitivo, as moléculas orgânicas simples (formaldeído)reagiram entre si e deram outras mais complexas (ribose ,glucose ,etc).Estas estruturas mais complexas,rodearam-se por uma espécie de membrana de hidrocarbonetos que as isolavam do restante caldo primitivo . Estavam formados os coacervos estruturas parecidas com as células, mas ainda sem qualquer característica de vida . »»»As reacções no caldo primitivo eram catalisadas pelas argilas e basaltos quentes das margens dos mares.( também este facto foi confirmado em laboratório por Fox) »»» Nos coacervos, algumas moléculas orgânicas reagiram entre si dando outras mais complexas, algumas até tendo capacidade de autocópia e outras capazes de controlo de reacções ,surgindo assim as primeiras características de vida. Os coacervos não são seres vivos, por isso chamar-lhe-emos de pré células ou pré-biontes.»»» Os pré-biontes ( semelhantes a uma bactéria actual) eram heterotróficos,isto é, absorviam novas moléculas do caldo primitivo, para manter e aumentar a sua estrutura e para produzir a energia que os mantivesse . A energia necessária era obtida a partir de moléculas sulfurosas tal como sucede,hoje em dia,com bactérias dos fundos marinhos. »»» Durante milhões de anos os pré-biontes terão evoluído quimicamente a sua estrutura para uma posição autotrófica de síntese de "alimento". »»» O aparecimento de oxigénio na atmosfera da Terra levou a que as bactérias autotróficas se desenvolvessem em cianobactérias, obtendo a energia para o seu metabolismo por reacções fotossintéticas, possivelmente há 2.000 Ma. »»»A pouco e pouco os pré-biontes adquiriram mais características dos seres vivos, mas esta evolução é tão gradualmente ténue, que não podemos precisar o momento em que deixamos de ter um pré-bionte e passamos a ter um ser vivo.

Estima-se que a vida terá surgido há 3.4oo Ma.; células com núcleo contendo RNA e DNA há 2.000 Ma e organismos pluricelulares há 700Ma. Depois é a EVOLUÇÃO NATURAL ,o aparecimento e desaparecimento de espécies, mas isso é outro assunto.

2 comentários:

Dra. Maria Lúcia disse...

"Um pouco de ciência nos afasta de Deus, muito, nos aproxima..." Louis Pasteur

Anónimo disse...

"A ciência sem a religião é paralítica - A religião sem a ciência é cega..."
(Albert Einstein)

Arquivo do blogue