1.12.08

CASTELO DE MELGAÇO


"Entre as relíquias do nosso passado histórico que ajudaram ao longo dos séculos a robustecer a Nacionalidade, são decerto os castelos que melhor falam á nossa alma , na vibração ou na saudade que a sua contemplação em nós desperta. Mas não nos basta contemplar no escrínio do tempo, como formas inermes ou redivivas da grandeza que os definiu. É preciso também saber amá-los, encarando o cortejo de heroísmo e tragédias de que foram cenário para sentir a carga espiritual que deles se desprende."(Veríssimo Serrão)

Durante a curta ocupação muçulmana, no século IX, levantaram os invasores, aqui em Melgaço, uma fortificação que pretendia ser de apoio ao seu falhado plano de avanço sobre Santiago de Compostela. Na altura, a região encontrava-se deserta devido á invasão muçulmana e, pouco tempo depois,com a retirada islâmica o castelo acabou por ficar em ruínas. Sabe-se que, em 1182, já aqui existia de novo uma população, pois D. Afonso Henriques lhe concede foral, sendo edificado novo castelo (1170) dada a importância estratégica de Melgaço contra as investidas do Reino de Leão.O castelo foi ampliado no tempo de D. Dinis, com a elevação de uma segunda linha de muralhas envolvendo o quadrilátero inicial de ângulos recurvos.Os diferentes azares da Guerra da Restauração da Independência levaram ao castelo outros cercos, destruições e reconstruções , um duro preço por ocupar sítio tão estratégico. De uma terceira linha de muralhas do século XVII já pouco resta devido aos desastres das guerras e também devido á ocupação pelos invasores franceses que aqui ficaram até ao dia 11 de Junho de 1808, data em que foram expulsos definitivamente. O castelo é de planta circular e está dividido em três recintos; as muralhas ameiadas têm duas portas e três torres ,com a torre de menagem de secção quadrangular e uma outra de secção pentagonal.. Ligado a este castelo existe a lenda da Inês Negra, baseada no cerco sofrido pelo castelo a mando de D.João I, já que ele se encontrava ocupado por forças leais a Castela. Da série de assaltos e escaramuças entre a nobreza instalada dentro dos muros da vila e as classes populares instaladas fora desses muros, no chamado arraial resultou um facto que é narrado em documento antigo : ......escaramuçaram duas bravas mulheres, uma da vila e outra do arraial, e andaram ambas aos cabelos e venceu a do arraial.....(Crónica de D. João I, por Fernão Lopes)

4 comentários:

广西休闲游戏中心 disse...

See you in these things, I think, I started feeling good!
Personalized Signature:贵州信息港休闲游戏中心,我爱掼蛋网,重庆游戏中心,金游世界视频棋牌游戏中心,南通棋牌游戏中心,贵港热线休闲游戏中心,淮安棋牌游戏中心

Farming Net disse...

I will pass on your article introduced to my other friends, because really good!
Other Net

souza de melgaço disse...

e que tal uma foto do castelo de Melgaço?
fica muito feio o castelo de Guimarães a acompanhar um texto sobre o castelo de Melgaço.

Meus Ecos disse...

Olá, você podeira me indicar a página dessa passagem de Inês Negra no segundo volume da crônica de D. João I por Fernão Lopes?

Desde já agradeço!

Arquivo do blogue