1.3.08

AUTOGIROS ( Girocópteros)

O autogiro é sem dúvida o antecessor do helicóptero,pois foi daquele que vieram os conhecimentos actuais sobre asas rotativas.( ver neste blog aviões e outras aeronaves-Fev 2008) Embora já no ano 320 DC os chineses tivessem inventado um autogiro de brinquedo e Leonardo da Vinci o tivesse desenhado teóricamente, teve que se esperar pelo ano de 1927 para que o Eng. espanhol Juan de la Cierva o construisse. O protótipo teve que ser modificado várias vezes para resolver os problemas surgidos com a estabilidade.

Um autogiro é um avião sem asas, em que a sustentação é dada por um rotor (asas rotativas) e a deslocação do aparelho por um motor,como nos aviões. Normalmente o motor é traseiro,embora no início fosse á frente . No autogiro o rotor (hélice de cima ) não tem accionamento mecânico,girando pelo princípio de autorotação, tal como os moínhos de papel, usados pelas crianças, giram se os movimentarmos. O comando principal dos autogiros é dado pela inclinação do rotor para a frente e para trás,comandando a subida e descida,respectivamente. A inclinação lateral do referido rotor,para um lado e para o outro, dará equilíbrio e fará as curvas. Como o rotor é autorotativo,não há efeito de torque (esforço de torção).O leme traseiro destas aeronaves serve para facilitar as curvas.

O autogiro voa basicamente utilizando a capacidade das asas rotativas(hélice de cima) se manterem em movimento pela passagem do fluxo de ar provocado pelo deslocamento. Repetimos que o hélice superior (rotor) não é accionado a motor. Uma das vantagens do autogiro é a segurança.Caso o motor traseiro pare,ele desce lentamente,sustentado pelo movimento do rotor. Nos helicópteros, como as asas rotativas são accionadas a motor, há efeito de torque,tendo sido difícil resolver este problema .

Os autogiros necessitam rolar numa pista, algumas dezenas de metros, para descolar e aterrar, facto pelo qual o exército nunca os aceitou,ao contrário do helicótero que se desloca na vertical e pode pairar. Os autogiros já evoluíram muito e hoje fazem parte da aviação desportiva.

Como uma fotografia vale mais que mil palavras e conhecemos pessoalmente um amante destes aparelhos,apresentamos a foto do Sr Mário Portugal Leça Faria deslocando-se , há 47 anos, no seu autogiro de fabrico caseiro,
Como a idade não perdoa, mas o vício não morre, aqui o temos de novo a bordo de um recente aparelho, propriedade de um amigo (Dr.Joaquim Figueiredo),voando na zona de Benavente
Já que o Sr Mário Portugal é um experimentador nato e tem publicado as suas experiências,aconselho uma visita ao seu blog http://www.engenhocando.blog.com/ em postagem de 3-11-2006. Finalizaremos dizendo que pelo mundo existem imensos clubes deste modo de voar e que a asa delta motorizada nasceu da alteração do girocóptero no processo de sustentação .

3 comentários:

carlinhos menezes disse...

ola,sou um apaixonado por tudo que voa,tanto que adoro ficar observando os urubus planando,o bixo é feio mas o voo dele é barbaro,assim sendo descobri e fiquei muito interessado nesse aparelho meio que primitivo mas que voa boniito "o giroscopio"ou "autogiro"se me conseguir uma planta do bixinho ficomuito grato,abraço e feliz 2010.

Anónimo disse...

tambem sou apaixonado por tudo que voa, mas esse autogiro ou giroscopio me impulsionaou mais ainda se poder me mandar algo a respeito desse aviao ficaria muito grato. alexandre borges

António disse...

Sou António Moreira e também amante das asas rotativas. Construi 2 autogiros que podem ser vistos em "Os meus autogiros.Apresentação e voo" e o "voo do autogiro bilugar-parte 2". Além do Sr. Mário Portugal a quem envio um abraço, faleceu há um ano um outro amante dos autogiros o António Vilar.O meu email "amg_moreira@hotmail.com"

Arquivo do blogue